#ConteudoEinformacao

Uma falha no sistema de oxigênio que alimenta a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Presidente Vargas, em São Luís (MA), foi constatada em uma vistoria realizada esta semana pela Promotoria de Defesa da Saúde. Segundo o relatório do Ministério Público do Maranhão (MPMA), médicos que trabalham no hospital confirmam o problema ocorrido na quinta-feira (13). A relação da falha com três mortes está sob investigação.

No relatório do hospital consta que no dia da pane, três pessoas que estavam na UTI morreram, quatro pacientes precisaram ser transferidos e cinco permaneceram no hospital.

Mídia São Luís.jpg

“Trabalhamos com perícia médico legal. Estamos aguardando as informações, inclusive se esses pacientes que foram a óbito estavam fazendo uso de ‘O2’. Pois se o paciente não estava fazendo o uso e foi a óbito, nenhuma relação de pronto tem com essa questão da possível pane”, disse a promotora de Justiça, Glória Mafra.

No momento do problema, 12 pacientes estavam internados na Unidade de Terapia Intensiva. Segundo a Promotoria de Saúde, todos com problemas respiratórios.

“Houve uma constatação que realmente, na quinta-feira (13), teve uma pane de oxigênio na rede. E no ambiente estavam cinco pacientes, que não estavam fazendo uso desta rede que sofreu a pane”, concluiu a promotora.

O Ministério Público fez uma recomendação à Secretaria de Estado da Saúde (SES) para que garantisse a segurança dos cinco pacientes que ainda estão internados no local. Os outros 12 leitos vazios só poderão receber pacientes quando as investigações acabarem e o problema de oxigênio for resolvido.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informou que a usina de oxigênio do Hospital Presidente Vargas teve problemas técnicos na quinta-feira, o que exigiu que a unidade fosse momentaneamente atendida com cilindros de oxigênio e, por precaução, o hospital evitou utilizar os demais leitos da UTI até a resolução completa do problema. A SSP disse ainda que está investigando se há alguma ligação entre as mortes de pacientes da UTI e o problema na usina de oxigênio.

Do G1.MA