​#ConteudoEinformacao

Apesar de rodoviários e empresários manterem discursos contrários, tudo indica que os ônibus vão parar de circular, por três horas, das 15 às 18h, desta quinta-feira (22), em São Luís. O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de São Luís (SET) garante que tudo vai ocorrer normalmente, porém, o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão confirma: “Haverá paralisação, sim. Nós que estamos perdendo”, disse o presidente Isaias Castelo Branco. Esse movimento em São Luís faz parte de uma grande mobilização nacional, coordenada pelas Centrais Sindicais (CUT, Força Sindical, UGT, CTB, CSB, NCST, CSP-Conlutas), que ocorrerá em todas as capitais brasileiras e que tem o objetivo de defender e lutar pela ampliação dos direitos sociais e trabalhistas.

Luís Cláudio Siqueira, superintendente do SET, disse que uma paralisação não pode ser decidida de forma unilateral e, portanto, nada anormal deve acontecer nesta quinta-feira. “A orientação patronal é para que todos os ônibus saiam da garagem. Nada foi mudado. Para que aconteça uma ação deste tipo [paralisação] existe uma série de protocolos a serem tomados, portanto, acredito que tudo seguirá na normalidade”, afirmou.

Já o representante dos rodoviários, Isaias Castelo Branco, foi lacônico para afirmar sua posição: “Eles nunca parar. Mas nós vamos parar, sim. Afinal de contas somos nós que estamos perdendo”.

Reivindicações

As reivindicações partem de propostas do atual Governo Federal como, a reforma da Previdência Social e a possibilidade de mudanças nas Leis Trabalhistas, que poderão refletir em prejuízos aos trabalhadores, segundo as centrais sindicais.

O ponto alto dessa grande mobilização será um ato público em São Luís, que reunirá as mais diversas classes envolvidas e que acontece nesta quinta-feira (22), com concentração a partir das 16 horas, na Praça Deodoro. A paralisação dos coletivos ocorrerá simultaneamente ao ato no centro da cidade.