#ConteudoEinformacao

O Maranhão será beneficiado com o acordo de cooperação técnica, firmado na segunda-feira (19), entre a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), que tem o objetivo de levar mais conectividade para o Nordeste. A assinatura do termo foi realizada em Recife, com a presença do ministro da Educação, Mendonça Filho, e contou com a participação do secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Jhonatan Almada, que representou o Governo do Maranhão no evento.

“O convênio com a Chesf e a RNP poderá trazer grandes ganhos do ponto de vista do acesso à internet, da inclusão digital no Maranhão, enquanto o governo ainda está organizando as parcerias público-privadas referentes ao Cinturão Digital”, disse o secretário Jhonatan Almada.

A partir da parceria será possível acelerar a oferta de infraestrutura de alto desempenho para educação e pesquisa e melhorar o acesso à internet de alta velocidade da comunidade acadêmica, incluindo centros de pesquisa, faculdades, institutos superiores, hospitais de ensino e centros de educação e pesquisa. O compartilhamento terá como suporte as linhas de transmissão da Chesf.

“Como resultado deste termo, todo o Nordeste pode ser beneficiado com internet de baixo custo vinda a partir de Fortaleza. Com o compartilhamento da rede da Chesf, a RNP poderá chegar ao dobro de locais que atende atualmente e desta forma interiorizar, grandemente, o acesso à internet banda larga de velocidade para pesquisa e ensino”, completou o secretário.

Outro resultado da parceria é a ampliação do número de campi da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) atendidos com internet e todas as unidades do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema). “A perspectiva é aumentar a integração entre todas as redes de produção do conhecimento, as instituições de pesquisa e ensino do Nordeste, aumentar a velocidade disponível, disse o secretário, observando que ‘com essa modificação a velocidade será mil vezes superior à atual’.

O secretário enfatizou que isso possibilitará maior comunicação entre as comunidades de pesquisadores, já que se terá uma rede ligando pesquisadores e instituições, o que facilitará o contato, troca de informações e a formação de redes de pesquisa.

Atualmente, a RNP tem em São Luís uma rede de fibra que a Secti utiliza, mas dispõe de outras redes que podem envolver novas demandas. O projeto deverá beneficiar diversos estudantes, levando em conta que a nova rede pode interligar o Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema), as universidades federal e estadual, e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Ifma). Além de São Luís, a rede deverá ser levada, em um primeiro momento, para os municípios de Pinheiro, Imperatriz e Codó, interligando as instituições de ensino e pesquisa com uma internet de alta velocidade.

Informações do Jornal Pequeno.