​#ConteudoEinformacao

A madrugada desta segunda-feira (05), foi marcada em Marabá por um assalto inédito na história do município e, talvez, do Pará. Uma quadrilha fortemente armada, com dezenas de bandidos encapuzados, explodiu a sede da empresa de valores Prosegur, que guarda todo o dinheiro que abastece as agências bancárias de Marabá e região, levou milhões, deixando um rastro de destruição no quarteirão.

Os bandidos chegaram ao prédio da Prosegur (localizado na Avenida Itacaiúnas, 1.470) por volta de 1h40. Se espalharam pelo quarteirão e evitaram que populares se aproximassem. Soltaram rajadas de bala para afugentar pessoas e ao mesmo tempo para anunciar aos vizinhos o início da operação de guerra. Cinco minutos depois fizeram a primeira detonação de bananas de dinamites que destruiu o muro da empresa e os veículos que estavam estacionados em frente. Passados mais cinco minutos veio a segunda detonação: precisa e cirúrgica para abrir o cofre.

Com o auxílio de quatro camionetes e um Corola, os bandidos encheram os veículos com sacos de dinheiro. A ação da quadrilha durou cerca de 40 minutos. Na fuga, os bandidos chegaram a trocar tiros com policiais militares que estavam em uma viatura em frente ao aeroporto. Era a única equipe que estava do lado de cá da ponte sobre o Rio Itacaiunas. No tiroteio, uma policial ficou ferida na perna, mas nada de grave.

A empresa fica localizada no núcleo Cidade Nova, enquanto quartéis da PM, sede da Polícia Civil, Exército e Polícia Federal estão todos sediados no núcleo Nova Marabá. Para chegar ao Cidade Nova precisariam passar pela ponte sobre o Rio Itacaiunas, de 510 metros. Estrategicamente, os bandidos fecharam as duas pontes que unem os dois núcleos com duas carretas, ateando fogo sobre elas.

A polícia ficou entrincheirada do outro lado. E, segundo moradores da Rua Itacaiunas, só conseguiu chegar à sede da Prosegur dez minutos depois que os bandidos foram embora. Relatos desses mesmos vizinhos dão conta que os bandidos não levaram todo o dinheiro. O despojo ficou para populares que entraram na sede da empresa logo depois dos bandidos e saíram com sacos de dinheiro. “Um cara saiu com sete sacos de dinheiro. As pessoas levaram pacotes e pacotes. Acho que vão se apanhados depois”, disse um dos vizinhos da Prosegur, que pediu reserva de seu nome.

O Tático foi o primeiro a chegar ao local e tomou pacotes de dinheiro dos populares que entraram no prédio da Prosegur depois dos bandidos.

Os bandidos fugiram em direção a Itupiranga, pela BR-230 (Transamazônica). A cerca de 14 quilômetros da cidade, entraram em quatro lanchas e atravessaram o Rio Tocantins, onde outros veículos os aguardavam do outro lado, onde continuaram a fuga por uma estrada vicinal.

Alguns boatos ainda na madrugada davam conta que a quadrilha teria roubado um avião no aeroporto de Marabá para a fuga, mas funcionários do Aeroporto não confirmara essa versão. “Ainda na madrugada uma aeronave de UTI Aérea levantou voo com uma criança. Talvez isso tenha causado toda a confusão”, disse um informante do blog.

Segundo um funcionário da Prosegur, nesta época do mês, véspera de pagamento de salários, há cerca de 50 milhões no cofre da empresa. (Ulisses Pompeu, de Marabá).

Do Blog Zé Dudu