​#ConteudoEinformacao

Agora é a vez de a capital maranhense receber o Uber. O aplicativo que tem como base o serviço de “carona remunerada” já é mundialmente famoso e popular principalmente entre os jovens que tem uma vida noturna agitada e procuram segurança e preços baixos na hora de voltar para casa.

O usuário que quiser utilizar o serviço deve antes de tudo baixar o aplicativo, realizar o cadastro, lembrando que é necessário ter cartão de crédito, o aplicativo avalia a região em que o usuário se encontra pelo GPS do aparelho, dizendo se há algum carro disponível e quanto tempo o motorista levará para chegar ao local, depois de pedir o táxi o pagamento é feito direto no aplicativo por meio do cartão de crédito.

São Luís está entre as cidades que o Uber deverá instalar seus serviços até o final de 2016, segundo informações de Andrew MacDonald, gerente geral regional da empresa para região central dos Estados Unidos, Canadá e América Latina. O executivo informou recentemente que até o final do ano serão contratados até 50 mil motoristas e o serviço estará disponível em todas as cidades do Norte e Nordeste com até 1 milhão de habitantes.

Não existe, porém uma data exata do inicio das atividades na capital, o que se espera é que ainda sejam resolvidos alguns problemas estruturais do aplicativo com a localização por GPS e serviço de pagamento e então ele seja estabilizado para operar com mais qualidade no país.

Cadastro de motoristas

Por enquanto as informações referentes ao aplicativo estão sendo divulgadas em uma pagina de uma rede social, e os motoristas que desejam ingressar na comunidade de “Uber drivers” devem receber um convite depois de enviarem informações como nome completo e endereço de e-mail, e se cadastrarem no site da empresa.

Sobre os motoristas que trabalham para o Uber a empresa afirma que somente pode se cadastrar como parceiro do aplicativo, motoristas que possuem carteira de motorista profissional, que permite a eles exercer função remunerada (EAR). Todos passam primeiro por uma checagem de antecedentes criminais nas esferas federal e estadual. Além disso, uma empresa parceira independente da Uber faz uma checagem de processos em andamento em todos os estados.

Os motoristas Uber não cobram diretamente por carona, mas recebem uma remuneração da empresa, que observa na formação de seus preços a relação de oferta de motoristas conforme a demanda dos usuários e se baseia também na duração e distância da corrida. Para os brasileiros que estão em busca de uma oportunidade de ganhar dinheiro o aplicativo parece ser um ótimo campo de trabalho, e atualmente, o Uber conta com 10 mil profissionais credenciados no país.

Polêmica

Ele já gerou discussões, manifestações e brigas entre motoristas de taxi e do aplicativo de celular em estados como Rio de Janeiro, Fortaleza e São Paulo. As principais reclamações de motoristas de taxi são relacionadas a não obrigatoriedade dos motoristas do Uber em serem regulamentados por algum órgão do governo, com licenças custam caro, e ainda a concorrência destes motoristas em relação aos taxis tradicionais ser oferecido um serviço análogo aos táxis, mas que opera a uma fração do custo de uma empresa legalizada.

Do outro lado, o Uber se defende afirmando que paga impostos como uma empresa de tecnologia, com CNPJ em todas as cidades em que atua. Por ser uma empresa de capital fechado, não detalha os impostos pagos. Além disso, a cada nota fiscal emitida, o motorista parceiro que opera na plataforma paga para o governo de duas formas: como microempreendedor individual (MEI) ou Simples Nacional.

O aplicativo

A empresa Uber, anteriormente UberCab, nasceu São Francisco, nos Estado Unidos. A idéia por trás deste aplicativo era fornecer aos usuários veículos de passageiros com condutor a preços acessíveis. A reserva é feita diretamente no celular usando a ferramenta de geolocalização.

O Uber assim como outros aplicativos existentes que são voltados para taxis é baseado na tecnologia em rede com o conceito E-hailing, que é o ato de se requisitar um táxi através de um dispositivo eletrônico, geralmente um celular ou smartphone. Ele substitui métodos tradicionais para se chamar táxis, como ligações telefônicas ou simplesmente esperar ou ir a um ponto de um táxi na rua.

Como muitos serviços online, o Uber depende muito do sentimento de segurança dos usuários e inova para atingir seus objetivos e oferecer aos clientes um serviço de alta qualidade. A empresa exige, por exemplo, que seja disponibilizada água aos clientes em todos os carros, além disso, dependendo do serviço selecionado, os motoristas podem também fornecer bebidas energéticas, doces, etc.