​#ConteudoEinformacao

O WhatsApp irá compartilhar o número de telefone de seus usuários com o Facebook, bem como informações sobre a frequência que estes usam o serviço de mensagens instantâneas, entre eles, o último horário de conexão. O aplicativo, que foi comprado pelo Facebook em 2014 por cerca de 22 bilhões de dólares (70 bilhões de reais no câmbio atual), anunciou nesta quinta-feira uma mudança em seus termos de uso e política de privacidade que contempla essa troca de informações entre o WhatsApp e a rede social. É a primeira mudança na política de privacidade desde que empresa foi comprada por Mark Zuckerberg, fundador do Facebook.
“Como subsidiária do Facebook, nos próximos meses começaremos a compartilhar informações que nos permitam uma melhor coordenação e, assim, aperfeiçoar a experiência entre os serviços. Esta é uma prática comum entre as empresas que são adquiridas por outras”, explicou o WhatsApp em um comunicado.

Segundo a companhia, essa manobra tem diferentes objetivos: melhorar a eficácia da publicidade para veicular anúncios que são mais relevantes para os usuários do Facebook e sugestões para conexão com conhecidos, além de combater abusos e mensagens indesejadas no WhatsApp.

Também o Instagram
O serviço reconhece que outras empresas do Facebook, como o Instagram, também poderão utilizar as informações do WhatsApp para “diversas atividades”, como sugerir o seguimento de certas contas. Os usuários do serviço de mensagens instantâneas poderão recusar que seus dados sejam utilizados para “melhorar experiências em anúncios e produtos”, mas não terão como evitar que o Facebook saiba seus números de telefone e padrões de atividade no WhatsApp.

“Por enquanto, não temos planos de compartilhar com o Facebook outra informação opcional que seja fornecida, como o status, nome ou foto do perfil. Tampouco guardamos suas mensagens depois que foram enviadas”, destaca a empresa, insistindo que, apesar das mudanças, continuará operando “como um serviço independente”.

Além disso, destaca que as mensagens criptografadas continuarão sendo privadas — também para o próprio WhatsApp — e que não venderá, compartilhará ou fornecerá o número de telefone dos usuários aos anunciantes.

A partir de hoje

Os clientes do WhatsApp receberão, a partir desta quinta-feira, uma notificação com os novos termos de privacidade; a partir de então, têm 30 dias para aceitá-los se quiserem continuar usando o aplicativo.

Esta é a primeira mudança na política de privacidade do serviço em quatro anos. De acordo com o WhatsApp, essas mudanças respondem aos seus “planos de testar alternativas de comunicação entre usuários e empresas nos próximos meses”, bem como para refletir que o serviço é uma empresa de propriedade do Facebook.

A comunicação com empresas incluirá opções como, por exemplo, a informação de uma companhia área, via WhatsApp, sobre o cancelamento de um voo ou de um banco sobre uma transação fraudulenta. Ainda assim, a empresa deixou claro que o WhatsApp continuará sem anúncios e prometeu que a experiência de comunicação com empresas não incluirá mensagens indesejadas.

Depois do anúncio do WhatsApp, a Agência Espanhola de Proteção de Dados (AEPD) confirmou que está analisando as mudanças na política de privacidade do serviço.