#ConteudoEinformacao

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgou o resultado da Pesquisa Nacional Por Amostra de Domicilio (PNAD) contínua e, segundo os dados, os resultados para o Maranhão não são nada animadores. De acordo com a publicação, o estado é o que apresenta o menor percentual de pessoas empregadas no setor privado. Ainda de acordo com a pesquisa, o Maranhão também ocupa a primeira posição quanto a rendimento do trabalhador. Os dados são do 2º trimestre.

Cursos Técnicos na Escola Magnífica/ Cohab

Os dados foram disponibilizados no site do IBGE nesta semana. Os números da PNAD dão conta de que o Maranhão, com 51,8%, é o estado com o menor números de pessoas empregadas com carteira assinada, no setor privado, do país. Em seguida, estão Piauí (52,3%) e Pará (57,4%). Nesta estatística, quem lidera o ranking é Santa Catarina, que tem 86,2% da sua população ativa empregada no setor privado. Ficam logo atrás Distrito Federal (86,2%), Rio de Janeiro (85,7%).

Quando o tema é rendimento médio real habitual dos ocupados, o Maranhão também é o destaque negativo. O estado, segundo a pesquisa, tem o menor rendimento entre seus trabalhadores, com R$ 1.072 de renda média. Bahia (R$ 1.285) e Ceará (R$ 1.296) completam a trinca negativa, enquanto Distrito Federal (R$ 3.679), São Paulo (R$ 2.538) e Rio de Janeiro (R$ 2.287) ocupam a ponta positiva da tabela.

Os dados detalhados sobre a PNAD contínua você encontra aqui.

A pesquisa

A PNAD Obtém informações anuais sobre características demográficas e socioeconômicas da população, como sexo, idade, educação, trabalho e rendimento, e características dos domicílios, e, com periodicidade variável, informações sobre migração, fecundidade, nupcialidade, entre outras, tendo como unidade de coleta os domicílios.