#ConteudoEolimpiadas

O sonho da melhor geração do futebol feminino do Brasil terminar a Olimpíada do Rio de Janeiro com  uma medalha foi frustrado nesta sexta-feira. A equipe de Marta e companhia foi derrotada pelo Canadá por 2 a 1, na Arena Corinthians, em São Paulo, e concluiu a participação na quarta colocação, repetindo as campanhas de 1996 e 2000.

O Canadá conquistou pela segunda vez o bronze, repetindo 2012.

Apesar do estádio cheio e do apoio do público, a seleção não fez uma boa apresentação. Foi dominada pelas canadenses desde os minutos iniciais. Os dois gols ocorreram em vacilos coletivos na defesa, em que a marcação fraquejou e deu liberdade para as rivais.

Apenas nos minutos finais é que as jogadores do Brasil conseguiram pressionar as canadenses, mas no desespero e sem qualquer organização tática.

O primeiro gol foi marcado por Rose, aos 25 minutos do primeiro tempo. Depois, aos 7 minutos da etapa final, Sinclair, a capitã canadense, ampliou.

O gol das brasileiras foi de Beatriz, aos 33 minutos, após uma rápida cobrança de lateral no campo de ataque. A bola foi cruzada para a área e atacante finalizou sem marcação.

Encerrado o duelo, era visível a tristeza das jogadores. Mesmo aplaudidas, elas se despediram dos Jogos Olímpicos sem a presença no pódio.

Apesar de ter uma remanescente de 1996 (Formiga), a geração atual começou a jogar junto em 2003/04 e deu muito orgulho ao Brasil, como o vice da Copa do Mundo (2007).

O histórico da seleção  na Olimpíada também é positivo. Desde 1996, quando a modalidade estreou nos Jogos, a equipe só não ficou entre as quatro melhores em 2012.

Nas duas primeiras edições perdeu a medalha de bronze para a Noruega e a Alemanha, respectivamente. Em 2004 e em 2008, ficou com a prata ao perder a decisão para os Estados Unidos. Em 2012, caiu nas quartas de final para o Japão.

A final do futebol será entre Suécia e Alemanha, às 17h30 (de Brasília) desta sexta-feira, no Maracanã. Nenhuma das duas equipes tem esse título – as alemãs têm três bronzes.

O primeiro susto foi da equipe do Canadá, que acertou o travessão aos 8 minutos numa cobrança de falta de Sinclair. Ela buscava o ângulo direito da meta defendida por Bárbara.

Melhor na partida, o Canadá abriu o placar aos 25 minutos, em um contra-ataque perfeito. A lateral Lawrence ganhou a disputa com Fabiana pela esquerda e avançou até a área. Fez o cruzamento rasteiro para Rose, que chegou correndo na área e fez o gol.

A tentativa de reação do Brasil foi por água abaixo aos 7 minutos do segundo tempo, quando Sinclair fez o segundo gol das canadenses. A jogada foi toda pelo lado direito do ataque e contou com um grande vacilo das brasileiras na marcação.

Primeiro Rose teve tranquilidade ao receber lançamento de Fleming. Invadiu a área sem marcação, olhou para Sinclair e fez o cruzamento rasteiro. A capitã da seleção canadense ainda teve tempo de escolher o canto preferido antes de finalizar e fazer 2 a 0.

A partir daí as canadenses só administraram o placar.