#ConteudoEolimpiadas

Ele é o campeão do povo e tirou do Estádio Olímpico um enorme grito de gol. Capaz de se colocar onde nenhum outro velocista conseguiu em termos de popularidade, graças à mistura de talento e carisma imensuráveis, Usain Bolt fez história nos Jogos do Rio. Na noite deste domingo, ele conquistou o tricampeonato da prova mais nobre do atletismo, os 100m rasos. Ovacionado pela torcida, foi o raio que se espera que uma verdadeira lenda do esporte.

O jamaicano marcou seu melhor tempo na temporada – 9s81, bem longe do recorde mundial que pertence a ele próprio: 9s58. Porém, ele não precisa ser tão rápido quanto já foi para ainda ser o principal velocista do planeta.

A medalha de prata ficou com o americano Justin Gatlin (9s89), que fez de tudo para fazer neste domingo a noite em que o vilão derruba o herói. Mas como todo roteiro de prova de 100m com Bolt na pista, o quase campeão liderou mais da metade da prova até ser ultrapassado pelo fenômeno jamaicano. Em terceiro ficou o canadense Andre de Grasse (9s91).

Com mais duas provas para disputar no Rio, os 200m rasos e o revezamento 4x100m, ele ainda deverá fazer muito mais gente comer poeira em terras cariocas. A lenda segue viva e guarda o melhor sempre para o final: o gesto de raio que já está eternizado na história do esporte.