#LutonasOlimpiadasRio2016

A Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (SESGE) confirmou, na madrugada desta sexta-feira (12), a morte do soldado Hélio Vieira, baleado na cabeça ao entrar por engano junto com outros agentes da Força Nacional na Vila Do João, no Complexo da Maré, na última quarta-feira. Ele passou por cirurgias no Hospital Salgado Filho, no Méier, porém não resistiu e teve morte cerebral dada pelos médicos.

Natural de Roraima, o soldado Hélio Vieira dirigia a viatura que foi atacada por traficantes da comunidade. Ele perdeu massa encefálica e foi encaminhado para o centro cirúrgico Hospital Salgado Filho. O agente chegou a passar uma cirurgia com quatro horas de duração e, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, não reagiu bem ao procedimento.

Nesta sexta-feira, o Disque-Denúncia divulgou um cartaz com a foto de três traficantes envolvidos no ataque. Segundo o órgão, já foram recebidas 11 denúncias sobre a possível localização deles. De acorco com a polícia, eles são líderes do tráfico do Complexo da Maré, membros da mesma facção criminosa, conhecidos como TH, Pescador e Paulinho PL.

Em sua página do Facebook, o Ministro da Justiça do Brasil, Alexandre de Moraes, publicou uma mensagem de apoio aos familiares do soldado. Ele disse que o presidente interino Michel Temer decretará luto oficial.

“Quero expressar meus sentimentos aos familiares do soldado Hélio Vieira, que sofreu um ataque covarde e, infelizmente, morreu hoje em decorrência dos ferimentos”, diz um trecho da postagem do ministro.

Os parentes acompanharam os últimos momentos do soldado no hospital. Ainda não foi confirmado o local do enterro.