​#ConteudoEolimpiada

Um torcedor que acompanhava as finais do tiro com arco foi retirado à força por agentes da Força Nacional da arquibancada do Sambódromo, onde aconteciam as competições. Os policiais o levaram para a área destinada aos espectadores alegando que ele havia gritado “Fora Temer”. O UOL Esporte falou o torcedor retirado e com sua família. Eles negam que ele foi o autor do grito de protesto contra o presidente interino.

O torcedor e sua família preferiram não se identificar ao conversarem com o UOL. A reportagem entrou em contato com eles, por telefone, horas depois do incidente na arena olímpica. Um vídeo que circula na internet mostra o momento em que a Força Nacional aborda o torcedor.

Ele foi ao Sambódromo acompanhado pela esposa e dois filhos. Chegou a levar um cartaz contra o presidente interino Michel Temer e exibi-lo da arquibancada. O Comitê Organizador dos Jogos Rio-2016 proíbe que torcedores levem cartazes ou faixas de cunho político ou religioso para arenas olímpicas. Sabendo disso, um agente da Força Nacional abordou o torcedor e pediu para que guardasse o cartaz.

“Ele guardou o cartaz na mochila e continuamos ali assistindo à competição”, complementou a mulher do torcedor envolvido no incidente. “Atendemos ao pedido do agente da Força Nacional.”

Alguns minutos depois, entretanto, um outro torcedor gritou “Fora Temer” na arquibancada –o torcedor retirado ratifica que não gritou. O protesto fez com que quatro membros da Força Nacional voltassem a abordá-lo.

Os agentes queriam que o torcedor fosse acompanhado para fora da arquibancada. O torcedor negou, dizendo que não tinha sido o autor do grito. Outros presentes no Sambódromo avisaram os agentes da Força Nacional. Mesmo assim, os policiais então levantaram o torcedor à força e o retiraram da área de espectadores.

“Meus filhos estavam ali”, disse a esposa. “Todo mundo disse que não tinha sido ele. Não precisavam disso.”

Ainda sem saber o que fazer após a ação, a esposa e os filhos decidiram ficar na arquibancada. O torcedor foi levado para atrás do espaço e teve que entregar o cartaz que havia levado e guardado na mochila.

Agentes da Força Nacional chegaram a iniciar sua condução para fora da arena. Um funcionário do Comitê Rio-2016 avisou aos policiais que ele não poderia ser retirado. Os agentes, então, o liberaram.

Cerca de 20 minutos após a confusão –tempo suficiente para fazê-lo perder a disputa pelo bronze no tiro com arco–, o torcedor voltou ao seu lugar e pôde acompanhar a busca pelo ouro. “No final, deu tudo certo. Mas a abordagem foi completamente desproporcional”, disse a esposa.

A Sesge (Secretaria Extraordinária de Segurança de Grandes Eventos), que coordena o trabalho da Força Nacional na Olimpíada, foi procurada para comentar a abordagem ao torcedor, mas ainda não se pronunciou.